Latin America and Caribbean

Gerência

  • Presidentes da OCLC

Presidentes da OCLC

4presidents
skip-and-jay

A OCLC teve cinco presidentes desde a sua fundação. Frederick G. Kilgour foi presidente e CEO de 1967 a 1980 e aposentou-se do Conselho de Administração da OCLC em fevereiro de 1995, após atuar como Administrador Fundador Permanente desde 1980. Rowland C. W. Brown foi presidente e CEO da OCLC de 1980 a 1989. Dr. K. Wayne Smith atuou como presidente e CEO da OCLC de 1989 a abril de 1998. Jay Jordan foi presidente e CEO de maio de 1998 a 2013. Skip Prichard tornou-se presidente e CEO em julho de 2013.

pres-kilgour

1967-1980

Frederick G. Kilgour

Frederick Gridley Kilgour (1914 a 2006) fundou a OCLC como Ohio College Library Center em 1967 e atuou como seu primeiro presidente e CEO de 1967 a 1980.

Como bibliotecário, educador, historiador e empreendedor, Kilgour é amplamente reconhecido como uma das principais figuras na biblioteconomia do século XX por utilizar redes de computadores para aumentar o acesso às informações em bibliotecas em todo o mundo.

Kilgour nasceu em Springfield, Massachusetts, EUA, em 6 de janeiro de 1914. Após se formar pelo Harvard College em 1935, tornou-se assistente do diretor da Biblioteca da Universidade de Harvard, onde começou a experimentar com procedimentos de automação de biblioteca, primeiramente com o uso de cartões perfurados para um sistema de circulação. Ao mesmo tempo, fez sua pós-graduação com George Sarton, um pioneiro na nova disciplina de história da ciência, e começou a publicar artigos acadêmicos.

De 1942 a 1945, Kilgour, como tenente da reserva da Marinha dos EUA, foi secretário executivo e presidente em exercício do IDC (Comitê Interdepartamental de Aquisição de Publicações Estrangeiras) do governo dos EUA, que desenvolveu um sistema de obtenção de publicações de inimigos e áreas ocupadas por inimigos. Kilgour recebeu a medalha Legião do Mérito por seu trabalho de inteligência em 1945.

De 1946 a 1948, Kilgour atuou como diretor adjunto do Departamento de Coleta e Disseminação de Inteligência no Departamento de Estado dos EUA.

Em 1948, ele foi nomeado bibliotecário da Biblioteca Médica de Yale. Em Yale, também foi palestrante de história da ciência e tecnologia e publicou vários artigos acadêmicos sobre esses tópicos.

Em 1961, ele era um dos líderes do desenvolvimento de um protótipo de sistema de catálogo de biblioteca computadorizado, financiado pela National Science Foundation, para as bibliotecas médicas das Universidades de Colúmbia, Harvard e Yale. Em 1965, Kilgour também foi nomeado bibliotecário adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento na Universidade de Yale, continuando a experimentar com automação de bibliotecas e promoção de seus benefícios em potencial.

Em seus escritos profissionais na época, Kilgour observou que a explosão nas informações de pesquisas estava impondo novas demandas para que as bibliotecas fornecessem informações de forma completa e rápida. Ele defendeu o uso do computador para eliminar tarefas humanas repetitivas dos procedimentos de bibliotecas.

Em 1967, a Ohio College Association (um grupo composto por reitores das faculdades e universidades de Ohio) contratou Kilgour para liderar uma organização sem fins lucrativos, a OCLC (Ohio College Library Center), no desenvolvimento de um sistema de bibliotecas computadorizado para bibliotecas acadêmicas no estado.

Na época, a maioria das bibliotecas mantinha catálogos em cartão como guias para suas coleções e os bibliotecários precisavam datilografar cartões individuais para cada item, um procedimento que demandava intenso trabalho e era caro. O sistema e a base de dados de catalogação compartilhados que Kilgour concebeu tornaram desnecessário que mais de uma biblioteca catalogasse originalmente um item. Uma biblioteca poderia utilizar as informações de catalogação já existentes na base de dados e adicionar itens ainda não inseridos. De igual importância, o catálogo compartilhado permitiu o empréstimo entre bibliotecas, poupando às bibliotecas as despesas de adicionar material a suas próprias coleções.

Em 1971, após quatro anos de desenvolvimento, a OCLC introduziu seu sistema de catalogação compartilhada on-line, que reduziria drasticamente os custos para bibliotecas. Por exemplo, no primeiro ano de uso do sistema, a Biblioteca Alden na Universidade de Ohio pôde aumentar a quantidade de livros catalogados em um terço, reduzindo a equipe em 17 postos de trabalho. A notícia a respeito dessa nova ideia se espalhou por campi em todos os Estados Unidos.

A base de dados desenvolvida por Kilgour foi chamada originalmente de Catálogo On-line do Grupo de Bibliotecas da OCLC. Conhecido atualmente como WorldCat, ele contém mais de 325 milhões entradas de livros e outros materiais e mais de 2 bilhão listas de localização desses materiais em bibliotecas em todo o mundo.

Kilgour presidiu a OCLC durante a fase de crescimento rápido de uma rede estadual para uma rede internacional. Além de criar a base de dados do WorldCat, ele desenvolveu um sistema on-line de empréstimo entre bibliotecas em 1979, utilizado por bibliotecas em 2006 para realizar quase de 10 milhões de empréstimos. Atualmente, a OCLC possui uma equipe de 1.319 pessoas e escritórios em 10 países.

Em 1981, ele deixou a gestão, mas continuou no Conselho de Administração da OCLC até 1995.

Em 1990, foi nomeado Professor de Pesquisa Emérito da Faculdade de Ciências da Informação e Bibliotecárias, da Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, onde atuou no corpo docente até sua aposentadoria em 2004. Ele faleceu em Chapel Hill em 2006.

Kilgour foi autor de 205 artigos acadêmicos. Ele fundou e foi o primeiro editor do periódico acadêmico Information Technology and Libraries. Em 1998, a Oxford University Press publicou seu The Evolution of the Book. Suas outras obras incluem: Engineering in History; The Library of the Medical Institution of Yale College and its Catalogue of 1865; e The Library and Information Science CumIndex.

Kilgour recebeu vários prêmios e foi homenageado com cinco doutorados honorários. Em 1982, ao agraciá-lo com o título de Membro Vitalício Honorário, a Associação Americana de Bibliotecas o descreveu como um “acadêmico, empreendedor, inovador e intérprete da tecnologia, continuamente comprometido com a preservação de valores humanísticos”.

pres-brown

1980-1989

Rowland C. W. Brown

Rowland C. W. Brown (1923-2013) foi presidente da OCLC de dezembro de 1980 a janeiro de 1989.

Brown obteve seu bacharelado (com honras) pela Universidade de Harvard e seu doutorado pela Faculdade de Direito de Harvard. Ele também frequentou a Escola de Administração Sloan do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Brown foi presidente e CEO da Buckeye International, Inc., de Columbus, Ohio, EUA, de 1970 até a aquisição pela Worthington Industries em 1980. A Buckeye International fabricava produtos de plástico, peças fundidas de aço e peças de máquinas de precisão para os setores ferroviário e automotivo.

De 1967 a 1970, Brown foi presidente da Dorr-Oliver, Inc., Stamford, Connecticut, EUA, uma empresa mundial diversificada de engenharia e manufatura. Brown atuou anteriormente em vários cargos executivos na Dorr-Oliver, incluindo diretor de administração internacional, secretário corporativo, diretor jurídico e tesoureiro, vice-presidente de operações internacionais e vice-presidente de operações domésticas.

De 1954 a 1959, Brown foi diretor jurídico e de operações internacionais do do Machinery and Allied Products Institute em Washington, D.C., de 1950 a 1952, atuou no Conselho de Materiais Industriais no Departamento de Estabilização Econômica.

Brown serviu como piloto de caça da Marinha dos EUA no Pacífico Sul de 1942 a 1946 e na Coreia de 1952 a 1953.

Durante a administração de Brown, a OCLC expandiu sua linha de produtos e serviços para cerca de 60 ofertas que ajudaram bibliotecários a operar suas bibliotecas. A OCLC abriu seu primeiro escritório fora dos EUA em Birmingham, Inglaterra, e começou a procurar novas maneiras de ir além de informações bibliográficas a fim de fornecer as próprias informações — o livro ou o artigo. O número de bibliotecas participantes cresceu de 2.300 nos EUA e Canadá para 9.400 em 27 países. O número de registros do WorldCat cresceu de 5 milhões para 18 milhões.

A OCLC expressa seus pêsames pela morte do Sr. Brown. Leia seu obituário no Columbus Dispatch.

pres-smith

1989-1998

Dr. K. Wayne Smith

Dr. K. Wayne Smith atuou como presidente da OCLC de janeiro de 1989 a abril de 1998.

Smith se formou bacharel com honras em Ciências Políticas pela Universidade Wake Forest , onde foi membro do Programa Hankins e da fraternidade Phi Beta Kappa. Ele recebeu fez mestrado e doutorado em Economia e Ciências Políticas na Universidade de Princeton, onde foi membro dos Programas Danforth e Woodrow Wilson. Ele fez seu pós-doutorado em Economia pela Universidade do Sul da Califórnia. Sua carreira inclui cargos nas áreas de negócios, governamental e de ensino superior.

De 1986 a 1989, Smith foi presidente e CEO da K. Wayne Smith and Associates, uma empresa de gerenciamento de consultoria e acervo, e professor universitário na Universidade Wake Forest, Winston-Salem, Carolina do Norte, EUA.

De 1983 a 1986, Smith foi presidente e CEO da World Book, Inc., editora do World Book Encyclopedia.

De 1977 a 1983, foi sócio-gerente do grupo de operações em Washington (D.C.) da Coopers and Lybrand, em empresa de consultoria internacional em auditoria, contabilidade, tributária e gestão.

Smith foi executivo da Dart Industries, Inc., Los Angeles, Califórnia, EUA, de 1972 a 1976, atuando inicialmente como vice-presidente do Grupo de Planejamento e, posteriormente, como presidente e CEO do Dart Properties Group

De 1970 a 1972, Smith foi diretor de Análise de Programas do Conselho de Segurança Nacional em Washington, D.C., onde foi membro da equipe sênior subordinado ao Dr. Henry A. Kissinger, que era assistente do presidente para assuntos de segurança nacional. Ele atuou como docente na Academia Militar dos EUA e como diretor de programas na RAND Corporation.

Em 1969 e 1970, enquanto esteve na RAND Corporation, Smith foi co-autor de um livro com Alain Enthoven, antigo Secretário de Defesa adjunto sobre análise de sistemas, chamado: How Much Is Enough? Shaping the Defense Program 1961-1969. E escreveu diversos artigos e deu palestras frequentes sobre análise de sistemas, assuntos de segurança nacional e sistemas de gestão.

Durante a administração de Smith, o escopo de serviços da rede de computadores da OCLC aumentou para 26.000 instituições em 64 países em todo o mundo. O número de registros no WorldCat cresceu para 38 milhões, com 331 milhões de listas de localização. A OCLC apresentou seu primeiro serviço on-line de referência para o usuário final (FirstSearch). A OCLC começou a disponibilizar seus serviços na Internet e também foi pioneira no trabalho com periódicos eletrônicos com a Associação Americana para o Avanço da Ciência.

pres-jordan

1998-2013

Jay Jordan

Jay Jordan tornou-se o quarto presidente e CEO da OCLC em maio de 1998. Ele se aposentou em junho de 2013, após 15 anos, o maior tempo de atuação de um presidente na história de 46 anos da OCLC

Jordan se formou na Universidade Colgate em 1965 como bacharel em Literatura inglesa e serviu como oficial do exército norte-americano na Alemanha. Ele passou mais de sete anos vivendo e trabalhando fora dos Estados Unidos. Jordan chegou à OCLC após uma carreira de 24 anos na Information Handling Services, uma editora internacional de bases de dados, onde exerceu uma série de cargos importantes na alta gerência, incluindo a presidência da IHS Engineering.

Sob comando de Jordan, a OCLC construiu uma nova plataforma tecnológica, introduziu novos serviços, criou um programa institucional de bibliotecas e introduziu novas iniciativas para aumentar a visibilidade das bibliotecas e seus acervos para pessoas em toda parte da internet por meio de acordos com o Google, o Yahoo! e a Microsoft. O número de instituições participantes da OCLC aumentou de 30.000 em 64 países para 74.000 em 170 países. O banco de dados WorldCat da OCLC aumentou para 2 bilhões de símbolos de acervos de bibliotecas e mais de 300 milhões de registros bibliográficos. Registros em idiomas além do inglês encontrados no WorldCat aumentaram para 60%, tendo quase dobrado desde 1998.

Nos últimos 15 anos, a OCLC investiu mais de US$ 284 milhões em pesquisa e desenvolvimento para novos serviços. Agora, a OCLC tem centros de engenharia na Austrália,. Alemanha, Países baixos, Reino Unido e Estados Unidos. A OCLC também opera data centers em Dublin e Westerville, Ohio, EUA; Toronto, Ontário, Canadá; Leiden, Países Baixos; Londres, Reino Unido e Sydney, Austrália.

Por meio de fusões e aquisições, a OCLC criou uma comunidade de cerca de 5.000 instituições, especialmente na Europa e Austrália, que utilizam sistemas de gerenciamento de bibliotecas independentes desenvolvidos pela OCLC.

Em 2011, a OCLC introduziu uma nova geração de serviços baseados na nuvem para bibliotecas na plataforma WorldShare.

Durante a presidência de Jordan, a OCLC recebeu diversos prêmios por seu ambiente de trabalho, incluindo "Melhores lugares para trabalhar em Tecnologia da informação" da Computer World (2006–2013); "Melhores empregadores de Ohio", do Conselho Estadual da Sociedade de Ohio para Gerenciamento de Recursos Humanos (2009–2013) e o prêmio Alfred P. Sloan por Excelência de Negócios em Flexibilidade no Local de Trabalho (2011–2012).

file

2013 - atual

Skip Prichard

Skip Prichard tornou-se o quinto presidente e CEO da OCLC em julho de 2013.

Ele se formou como bacharel em Ciências pela Universidade Estadual Towson e concluiu seu doutorado Juris Doctor na Escola de Direito da Universidade de Baltimore.

Antes de se juntar à OCLC, Prichard foi presidente e CEO da Ingram Content Group Inc., um líder no fornecimento global de serviços e conteúdo. Durante o tempo em que atuou na Ingram, ele expandiu as unidades internacionais da empresa para a Europa continental e a Austrália, fortaleceu suas ofertas digitais e reposicionou a empresa como um provedor de serviços. Antes de trabalhar na Ingram, ele foi presidente e CEO da ProQuest Information and Learning, uma respeitada editora e provedora de informações global que atende a setores de bibliotecas, educacionais, governamentais e corporativos, com escritórios no mundo inteiro. Prichard liderou uma transformação bem-sucedida da ProQuest. No início de sua carreira, ele ocupou diversos cargos executivos na LexisNexis.

Entre as diversas paixões de Prichard está seu blog Leadership Insights , no qual ele entrevista autores e pensadores e compartilha suas ideias sobre diversos temas. Seus pensamentos sobre o futuro dos livros, editoras e bibliotecas foram publicados em diversas mídias nacionais e internacionais. Frequentemente, ele é o principal palestrante em conferências no mundo inteiro.